A nobreza do ouro na antiguidade (2)

0 antigo Egito foi a principal área produtora de ouro da África particularmente a Núbia (nub = ouro). Mais tarde, os tronos e sarcófagos dos faraós atraíram os olhos cobiçosos dos conquistadores persas, que vieram, pilharam o ouro e o utilizaram, entre outras coisas, para fazer moedas de ouro com uma imagem do Deus-Sol gravada. Só muito mais tarde é que conquistadores como Alexandre o Grande tiveram a própria imagem gravada em moedas.
Também a Espanha sempre possuiu ricas minas de ouro, e os romanos empregaram uma média de 60.000 escravos para trabalhar nelas. Na Galia antiga havia enormes quantidades de ouro nos santuários dos druidas, erguidos nas florestas – mas os romanos os saquearam. A natureza pratica dos romanos não se limitava a valorizar o ouro simplesmente por sua beleza, nobreza e poder solar; eles precisavam do ouro como dinheiro, para pagar seus exércitos, conquistar povos e estabelecer a Pax Romana. Quando o Cristianismo já havia sido reconhecido oficialmente em Roma, trazendo consigo a abolição da escravatura, a aquisição de ouro em áreas conquistadas cessou também.
Muito tempo depois disto, os homens começaram a cavar em busca de ouro nas montanhas da Europa: na terra dos Sudetos, na Hungria e na Silésia. A ordem religiosa dos Cavaleiros Templários recolhia esse ouro, tornando-se então uma instituição bancaria que emprestava ouro aos governantes para suas dispendiosas guerras. No fim, Felipe o Belo roubou o ouro dos Templários e, desse modo, pôs um fim ao poder da ordem.
Assim sendo, por volta da Idade Média, o ouro tinha degenerado numa tentação, provocando embriaguez c avidez insaciável. A grata aceitação desse presente vindo de Deus havia sido esquecida. Logo vieram as viagens para a América dos caçadores de tesouros. Uma grande riqueza ainda esta lá, no Museu do Ouro, em Bogotá, a capital da Colômbia: mascaras de ouro, ornamentos para o nariz, peitorais até mesmo anzóis. Os índios do Peru ainda conservam a coroa de ouro do ultimo rei, e nas festas dos solstícios de verão e de inverno eles dançam suas danças do Sol bem no alto, nos picos nevados dos Andes usando mascaras de ouro.
Em tempos mais recentes, o ouro tornou-se o símbolo do poder do dinheiro. Nas regiões inóspitas do Alasca, por exemplo, os garimpeiros submeteram-se a sofrimentos inacreditáveis diante da perspectiva de encontrar pepitas de ouro; ou então batearam pacientemente os rios em busca de ouro, durante a vida inteira.
Na Austrália, colônia penal da Grã-Bretanha, descobriu-se ouro, vantagem econômica que ajudou o pais no seu caminho para se tornar um Estado independente.
Na África do Sul, imensos veios de ouro foram descobertos sob Joanesburgo, não muito longe dos ricos campos de diamantes – um dos lugares favoritos do Sol. Na Guerra dos Boeres, os ingleses atraíram os nativos para as terras do Sul, dando-1hes armas em troca de ajuda na luta contra os Boeres. O resultado foi a organização de uma força de trabalho negra, para minerar o ouro. Contudo, os mineiros não tinham qualquer familiaridade com o trabalho – de acordo com a tradição, eles deixavam todo o trabalho pesado para as mulheres! – e tiveram de ser treinados aos poucos e acostumados a trabalhar durante períodos regulares e a permanecer no fundo de minas extremamente quentes durante longo tempo, Não obstante, dois terços do ouro do mundo é produzido pela Rand Refinery. A produção diária é de quatro milhões de pés cúbicos de rocha contendo minúsculas partículas de ouro depositadas pelo mar, ha milhões de anos atras, em veios cuja espessura varia de algumas polegadas até vários pés. Numa profundidade de: 4.000 metros há dezenas de milhares de trabalhadores negros (principalmente bantus) em atividade. Nos postos de recrutamento, nas cidades ao redor, eles fazem fila para conseguir esse trabalho. Para combater a poeira nas minas, borrifa-se água constantemente, de modo que a umidade da atmosfera está sempre ao redor de 90%, o que faz com que as pessoas transpirem muito durante este trabalho extremamente penoso. São usadas maquinas e dinamite para aprofundar cada vez mais e mais os túneis, e computadores para detectar possíveis desmoronamentos e dar alarme.
Qual e o propósito de toda essa atividade? Enfeitar-nos com ouro uma vez mais e, num gesto de gratidão decorar nossos templos com ouro do Sol ? Ou, como certa vez aconteceu, transformar nossos lugares sagrados em casas de forças para a humanidade? Isso é verdade apenas em parte. na verdade, o ouro pode ser encontrado na boca das pessoas, brilhando entre o branco dos dentes remanescentes quando elas riem. É verdade que homens e mulheres usam anéis, relógios e braceletes de ouro. Contudo, a maior parte do ouro que foi trazido das profundezas da Terra, por meio de um trabalho tão duro, torna a desaparecer nas entranhas da Terra: em Fort Knox e em Manhattan, nos E.U.A., nos cofres das (tesourarias dos governos do mundo inteiro. Ele é estocado na forma de barras os Estados Unidos tem cerca de 9.000 toneladas de barras de ouro. O total existente no mundo vale, coletivamente, cerca de onze bilhões de dólares.
O ouro é considerado algo que sempre tem valor, embora seja bem sabido que ele não pode ser comido em tempos de carestia. Contudo as pessoas sentem que o poder emana dele.
Em I816, a Grã-Bretanha introduziu o padrão-ouro, mais tarde abolido, quando os países empobrecidos da Europa já não tinham ouro suficiente, nos cofres dos seus bancos, para cobrir o valor nacional do papel-moeda que haviam imprimido. Apenas teoricamente cada nota pode ser trocada por ouro puro. 0 guinéu de ouro, o Luís de ouro, um dia prodigamente distribuídos ao povo por reis movidos por um impulso generoso, fazem parte da historia. A extorsão que os acompanhava significava que os pobres já haviam ganho o equivalente aquele Luís de ouro multiplicado muitas vezes. Isso também já passou, ou apenas mudou de forma?
A abolição do padräo-ouro não foi realizada unicamente por motivos econômicos. Num outro nível, ela expressou a cessação do reconhecimento agradecido ao Deus-Sol que nos da vida. O destino do homem não é decidido somente em termos econômicos.
Qual é, porém, a natureza essencial do ouro?
O calor intenso que emana do ouro é calor solar, é energia vital.
O ouro possui uma força que absorve continuamente o calor do Sol (mesmo quando o metal esta oculto nas entranhas da Terra). O ouro é a substancia ativa dos nervos da Terra. Os nervos dos homens também contem ouro, o mesmo acontece com certos tipos de grãos Deveríamos perguntar a nos mesmos o que estamos fazendo à nossa Mãe Terra quando destruímos os seus nervos, já tendo contaminado sua corrente sangüínea (os grandes rios) e arrancado os seus cabelos verdes (as florestas primitivas). Isso é um matricídio? A cobiça da homem poderá custar-lhe caro.

Curtir no Facebook

Joalheiros.NET

Escola de Joalheria e Ourivesaria
Av. República Argentina, 452 ● Curitiba ● PR
(41) 3342-5554 ● WhatApp 41 99115-5222