A Qualificação do Diamante

O diamante, assim como outros minerais, possui características e propriedades – físicas, ópticas e químicas – próprias. Como para um mesmo mineral existe uma infinidade de variações, foram criadas convenções para enquadrar qualquer diamante dentro de parâmetros que tornem possível sua classificação e a posterior determinação de seu valor. Esses parâmetros que permitem a classificação e o enquadramento de qualquer diamante num modelo de referência chamam-se nomenclatura e sua determinação científica é aceita internacionalmente.

Atualmente, a graduação dos diamantes é realizada observando-se pelo menos uma das quatro seguintes nomenclaturas:

GIA – Gemological Institute of America;

GIBJO – Confederation International de la Bijouterie, Joaillerie, ou Févrerie des Diamants, Perles et Pierres;
Scan, D. N. – Escandinávia Diamond Nomeclatures;

RAL560A5 – da Alemanha Ocidental.

O documento emitido após a graduação, segundo qualquer uma destas nomenclaturas, apresenta informações que poderão ser averiguadas em qualquer laboratório gemológico do mundo. Na qualidade de perito em diamantes e gemólogo formado, tenho obrigação de seguir a nomenclatura internacional, pois, sem esta a graduação de pureza e avaliação não seriam possíveis.

As últimas diretrizes para a graduação de diamantes emanam da International Rules for Grading Polished Diamonds.
Passa-se agora a mencionar as principais características que devem ser observadas na graduação de um diamante em sua terminologia mais usual, no inglês, pois neste idioma são realizadas as transações internacionais.

Curtir no Facebook

Joalheiros.NET

Escola de Joalheria e Ourivesaria
Av. República Argentina, 452 ● Curitiba ● PR
(41) 3342-5554 ● WhatApp 41 99115-5222