Dureza de novo material se aproxima do diamante

Inicia-se nova batalha na disputa do segundo lugar na lista de substâncias mais duras do mundo. O novo participante na briga é o boro sub-óxido. O diamante continua firme na primeira posição, enquanto que, até o momento, o segundo lugar no "ranking" da dureza era ocupado pelo nitreto cúbico de boro (cBN)..

O cBN, extremamente duro, é disponível comercialmente como borazon ou amborita, sendo utilizado em serras, lixas, bits de perfuração e diversas outras ferramentas que devem apresentar alta dureza. Embora o diamante seja capaz de cortar qualquer outra substância, ele se dissolve em ferro em altas temperaturas. Isso o faz ineficiente para operar com aço. É esse nicho que o cBN ocupa.

Pesquisadores do Los Alamos National Laboratory (Estados Unidos), conseguiram sintetizar o sub-óxido de boro, um composto de boro e oxigênio, que apresenta características praticamente semelhantes ao cBN. Como grande vantagem, o novo material pode ser industrializado a pressões mais baixas que o cBN e o diamante, de forma que sua produção em larga escala poderá ser mais fácil e barata.

Para produzir os cristais, os cientistas dissolveram boro puro em óxido de boro fundido a mais de 2000º C. A mistura foi submetida a um pressão de 50.000 atmosferas.

Os cientistas já supunham há muito tempo que o sub-óxido de boro fosse o segundo material de maior dureza da Terra. Mas eles ainda não haviam conseguido comprovar isto, porque ninguém conseguira produzir cristais grandes o suficiente para serem submetidos aos testes de dureza. Agora eles já dispõem de cristais de cerca de um décimo de milímetro, grandes o suficiente para os testes Vickers. Embora ligeiramente menos duro do que o cBN, a resistência do novo material, medida em termos da quantidade de energia necessária para quebrá-lo, é o dobro do seu rival.

Curtir no Facebook

Joalheiros.NET

Escola de Joalheria e Ourivesaria
Av. República Argentina, 452 ● Curitiba ● PR
(41) 3342-5554 ● WhatApp 41 99115-5222