Química Analítica

Métodos Instrumentais
Os métodos instrumentais básicos da Química Analítica, no século XIX ,
desenvolveram-se consideràvelmente na segunda metade, à partir de 1875, embora
as técnicas físicas já fôssem conhecidas anteriormente.
A produção de vidros opticos de melhor qualidade permitiu, neste século, a
aplicação mais frequente de refratômetros, espectroscoópios, polarímetros e
microscópios, à problemas de interêsse químico.
O espectroscópio, particularmente, sofreu muitos aperfeiçoamentos que permitiram
fazer análise de elementos difíceis de serem estudados usando o método de queima
de Bunsen.
A química astronômica progrediu muito com o trabalho de um colega de Bunsen,
Gustav Robert Kirchhoff (1824 - 1887), que em 1859 enunciou suas leis da
espectroscopia.
Mostrou que um corpo incandescente emite um espectro contínuo de luz.
E que um corpo excitado produz um espectro com linhas brilhantes.
E que gases aquecidos, quando submetidos à luz branca, absorvem as mesmas cores
emitidas por seus vapores quando excitados.
Usando estas leis Kirchoff e Bunsen descobriram vários elementos a partir de
1860.
Os astrônomos com uso do espectroscópio passaram a determinar a composição
química das estrêlas.
Os químicos passaram a utilizá-lo com frequência nos seus estudos e nas suas
análises.
A utilização da luz em análise orgânica iniciou-se com a polarimetria.
Esta técnica utiliza o fenômeno de polarização da luz , descoberta por Huygens,
no século XVII.
Jean Baptiste Biot (1774 - 1862), cristalógrafo francês, em 1813, descobriu que
a luz, ao atravessar uma placa de quartzo ou alguns líquidos, tem seu plano de
polarização girado.
Verificou este fenômeno com a essencia de terebentina, alguns óleos naturais,
como o de limão ou uma solução alcoólica de cânfora.
A partir de 1828 foram feitos vários melhoramentos nos polarímetros.
Passou-se a usar um prisma especial, invenção de William Nicol (1768 - 1851),
para separar a luz polarizada incidente em dois feixes, e utilizou-se luz
monocromática alguns anos mais tarde.
O polarímetro tornou-se mais popular depois que se descobriu como usar luz
branca introduzindo-se no caminho optico uma cunha de quartzo compensadora.
Como o açucares são opticamente ativos, o polarímetro passou a ser adotado na
análise de alimentos, particularmente na determinação da sacarose, na indústria
açucareira, a partir de 1860.
O uso de luz polarizada se estendeu ao estudo do isomerismo óptico de compostos
e complexos orgânicos, a partir de 1891.
Os avanços da Óptica levaram à melhoria dos microscópios, que, a partir de 1820,
passaram a ser usados regularmente.
Um dos responsáveis por estes avanços foi Ernst Abbe (1840 - 1905), um físico,
que em 1872 desenvolveu um condensador de luz que fica na parte inferior da
platina do microscópio.
Também foi responsável, em 1886, pelo aperfeiçoamento do refratômetro, comumente
usado em química orgânica.
A análise eletroquímica, baseada na eletrólise de soluções, a partir de 1865,
passou a ser usada como método de análise química quantitativa.
O. Wolcott Gibbs (1822 - 1908), a partir de 1864, descreveu métodos de
determinação eletrolítica de metais.
Determinou cobre, níquel, bismuto, prata, e por via indireta, a partir dos
dióxidos, o manganês e o chumbo.
Este processo de análise se tornou popular tendo estudos mostrado a importância
das diferenças de potencial usados na eletrodeposição.
Também surgiram melhoramentos nos métodos usados: foram desenvolvidos eletrodos
rotatórios e de telas metálicas, com excelentes resultados.
Muitos destes avanços foram obtidos por Alexander Classen (1843 - 1934), na
Alemanha, que publicou um livro sôbre este tipo de análise, Handbuch des
chemischen Analyse durch Electrolyse.
Ao final do século XIX uma variedade considerável de instrumentos e métodos
tinham sido desenvolvidos e eram regularmente usados em química analítica.
Muitos deles passaram a ser usados nas indústrias, principalmente nas de
alimentos e de remédios.
A evolução do uso foi também consequência da disponibilidade de excelentes
instrumentos produzidos por indústrias especiais que surgiram eainda hoje se
mantém ativas.


Cronologia do desenvolvimento da Química no século 19

1800Alessandro VoltaProdução de corrente elétrica por meios químicos
1800William HerschelDescoberta da radiação infra vermelho
1801John DaltonLei das pressões parciais na mistura de gases
1801Humphrey DavyDesenvolvimento do arco elétrico
1801Humphrey DavisUso de células voltaicas na decomposição de compostos
1801A.F. FourcroyMétodos gerais de análise orgânica (qualitativa)
1801J.W. Ritter e W.H. WollastonDescoberta da ação da luz ultravioleta
sôbre cristais de cloreto de prata
1803John DaltonTábua dos pesos atômicos relativos
1803Jon BerzeliusDecomposição eletrolítica de sais.
1804John DaltonTeorias atômica nas reações químicas
1807Humphrey DavisObtenção de sódio e potássio por eletrólise
1808Gay-LussacLei dos volumes de combinação dos gases
1808Humphrey DavisObtenção de magnésio, cálcio, estrôncio e bário por
eletrólise
1811Amadeo AvogadroHipótese de Avogadro sôbre número de partículas em
volumes iguais de gases nas mesmas condições
1812Jon BerzeliusTeoria dualística
1813Humphrey DavysContrata Michael Faraday como assistente
1815William ProutHipótese de que os elementos sào compostos de hidrogênio
1815Jon BerzeliusCalcula fórmulas de compostos orgânicos a partir de dados
analíticos experimentais
1819Eilhardt MitscherlichLei do isomorfismo na cristalização de compostos
1823Michael FaradayLiquefação do cloro e outros gases
1823Michel Eugéne ChevreulCorpos graxos de origem animal
1824Michel Eugéne ChevreulAnálise orgânica e suas aplicações
1826Jean Baptiste DumasMétodo de medida da densidade de vapor para
determinar peso atômico
1828Friederich WhölerSíntese da Urea e fim do Vitalismo
1829J.W. DöbereinerIntroduz tríades de elementos e prediz pesos atômicos
1832Justus von Liebig e F. WhölerDescoberta do radical benzoila
1833Michael FaradayEstabelece a terminologia da eletroquímica
1833Thomas GrahamClassificação dos ácidos fosfóricos
1834David BrewsterAnálise química por absorção de radiação
1844Adolf Wilhelm Hermann KolbeSíntese de compostos orgânicos partindo de
inorgânicos
1855Edward FranklandIntroduz o conceito de valência na combinação de
fragmentos orgânicos com metais
1853Robert BunsenInicia odesenvolvimento da análise química inorgânica
instrumental com a invenção do espectroscopio
1858Friedrich August KeluléIntroduz o conceito de carbono tetravalente e a
habilidade de átomos de carbono ligarem-se uns aos outros
1858Stanislao CannizaroAplica a hipótese de Avogadro na determinação dos
pesos atômicos e moleculares
1859Gustav Robert KirchhoffEstabelece as leis da espectroscopia
1860Robert Bunsen e G.R. KirchhoffDescoberta do césio por via
espectroscopica
1861Robert Bunsen e G.R. KirchhoffDescoberta do rubídio por via
espectroscopica
1861William CrookesDescoberta do tálio por via espectroscópica
1862A.E. Béguyer de ChancourttoisIntroduz a hélice telúrica para
classificar os elementos segundo os pesos atômicos
1863Ferdinand Reich e H.T. RichterDescoberta do índio por via
espectroscopica
1864Lothar MeyerPublica uma tabela incompleta precursora da tabela
periodica dos elementos
1865Alexander Reina NewlandsTabela dos elementos segundo oitavas e
descoberta da periodicidade
1869Dmitrii Ivanovich MendeleevClassificação periódica dos elementos
1870Lothar MeyerPropriedades periódicas duplas dos elementos

Curtir no Facebook

Joalheiros.NET

Escola de Joalheria e Ourivesaria
Av. República Argentina, 452 ● Curitiba ● PR
(41) 3342-5554 ● WhatApp 41 99115-5222